Español   /   English   /   中国人   /   Français   /   Deutsch Arrecadação  /   SisCONTAG  /   Guias  /   Webmail  /   Eventos  /   Todos os sistemas  /   Login
               
 
 
4º FESTIVAL NACIONAL DA JUVENTUDE RURAL     25 a 27 de abril de 2023 - Brasília/DF    SAIBA MAIS
JORNADA DAS MARGARIDAS
Autonomia econômica das mulheres foi um dos temas de audiência no MDS
WhatsApp

19 de Agosto de 2013

TEMAS RELACIONADOS:
jornada das margaridas

As mulheres trabalhadoras rurais foram recebidas na tarde desta segunda-feira, 19 de agosto, pela ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Tereza Campelo. Esta audiência integra a agenda da Jornada das Margaridas 2013 e a pauta contou com debates sobre a autonomia econômica das mulheres, passando por programas governamentais como de Aquisição de Alimentos (PAA), de Alimentação Escolar (PNAE), de construção de cisternas, Brasil Carinhoso, Bolsa Família, Assistência Técnica, Pronatec, dentre outros. A reunião contou com a presença da secretária de Mulheres Trabalhadoras Rurais da CONTAG, Alessandra Lunas, da Comissão Nacional de Mulheres Trabalhadoras Rurais (CNMTR), de coordenação regional da CONTAG, de parceiras da Marcha das Margaridas e da assessoria da Confederação e das FETAGs.

Alessandra Lunas iniciou a audiência fazendo uma exposição dos elementos gerais da pauta da Jornada desse ano, principalmente os que têm relação com a garantia da autonomia econômica das mulheres trabalhadoras rurais. A dirigente também destacou que uma das demandas é a necessidade de agilizar o julgamento do assassinato de Margaridas Alves, que ocorreu há 30 anos. Outra é a implementação da Política Nacional de Agroecologia para garantir a inclusão produtiva das mulheres. “A política de creches no campo é outra demanda forte para a autonomia das mulheres trabalhadoras rurais e o desenvolvimento das crianças, que também perpassa pelo debate sobre o trabalho infantil”, explica a secretária.

Outros pontos destacados por Alessandra e pela CNMTR foram: necessidade de adequar a matriz pedagógica do Pronatec para o público rural; da ATER também focar nos nichos de produção e não só na atividade principal da propriedade rural; a dificuldade em acessar os programas Primeira Água e Segunda Água, o Pronaf Mulher e PAA, e outros.

Depois de todas as exposições, a ministra Tereza Campelo fez alguns comentários e destacou que as políticas de gênero estão presentes nas ações do ministério. “Colocamos a mulher no centro da nossa pauta ao torná-las beneficiárias dos nossos programas sociais. Há um processo de empoderamento da mulher a partir do Bolsa Família, que completa 10 anos. E, ao longo desse período, temos colhido um conjunto de resultados importantes, como o aumento do número de mulheres fazendo o pré-natal, por exemplo”.

No entanto, a ministra admitiu que a pauta da educação do campo ainda é um desafio a ser superado. “Temos avançado muito com o Pronatec, mas o programa precisa avançar muito ainda no campo. Precisamos avançar, principalmente, nas regiões onde os trabalhadores e as trabalhadoras estão sofrendo com a mecanização na agricultura”. Como os Institutos Federais não dão conta da enorme demanda para o Pronatec, a ministra abriu um diálogo sobre a possibilidade de inserir o Sebrae para a qualificação no campo, por ter maior capilaridade no país.

Tereza Campelo anunciou uma das metas do MDS, até o final do mandato da presidenta Dilma Rousseff: “queremos universalizar o acesso à cisterna de placa.” A ministra também informou que o MDS tem recursos para investir em creches públicas ou conveniadas ao setor público que abrirem vagas para crianças atendidas pelo Bolsa Família. Além disso, orientou que as mulheres trabalhadoras rurais ajudem a difundir as alterações no PAA e PNAE, que permite que as compras de alimentos da agricultura familiar também sejam feitas por outras instituições públicas, como hospitais, presídios, universidades, restaurantes populares, Exército, dentre outros. “A lei permite e é muito mais interessante, porque todos poderão comprar alimentos mais saudáveis”. FONTE: Imprensa CONTAG - Verônica Tozzi



WhatsApp


CONTEÚDOS RELACIONADOS



Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares
SMPW Quadra 01 Conjunto 02 Lote 02
Núcleo Bandeirante/DF
CEP 71.735-102

(61) 2102 2288 | Fax (61) 2102 2299
secretariageral@contag.org.br

Horário de Funcionamento:
8h30 às 12h e 14h às 18h
A CONTAG é filiada à:
Secretarias
Presidência
Vice-presidência e Relações Internacionais
Secretaria Geral
Finanças e Administração
Política Agrária
Política Agrícola
Meio Ambiente
Políticas Sociais
Formação e Organização Sindical
Mulheres Trabalhadoras Rurais
Jovens Trabalhadores(as) Rurais
Trabalhadores(as) da Terceira Idade
Comunicação
Política Nacional de Comunicação
A Assessoria de Comunicação
Comunicação Visual
Bandeiras de luta
Fortalecimento da Agricultura Familiar
Acesso à terra e reforma agrária
Políticas públicas estruturantes
Políticas Sociais para o meio rural
Paridade de gênero
Sucessão Rural
Fortalecimento dos sujeitos do campo, floresta e águas
Agroecologia
Preservação e conservação ambiental
Combate à violência no campo
Direitos dos Assalariados/as Rurais
Mobilizações
Grito da Terra Brasil
Marcha das Margaridas
Festival Nacional da Juventude Rural
Festival Juventude Rural Conectada
Encontro Nacional de Formação (ENAFOR)
Plenária Nacional da Terceira Idade
Sistemas
SisCONTAG
ARRECADAÇÃO
GUIAS E CONTRIBUIÇÕES
WEBMAIL
SISTEMA DE EVENTOS
INTRANET
JOVEM SABER
LEGISLATIVO
EDITAIS
REFORMA AGRÁRIA
Campanhas Institucionais
Campanha Nacional de Sindicalização – Sindicato de Portas Abertas
Reforma Agrária: nossa luta vale a pena
Década da Agricultura Familiar
Raízes se formam no campo – Educação Pública e do Campo é um direito nosso
Campanha contra a Grilagem
Em defesa da Previdência Social Rural
Plano Sustentar
Cuidados com o Coronavírus
Campanha pela Divisão Justa do Trabalho Doméstico